Atletas Femininos X Atletas Masculinos


ATLETAS FEMININOS X ATLETAS MASCULINOS

Por Mariana Flores


Em geral, os principais valores quantitativos para as mulheres – como força muscular, ventilação pulmonar e débito cardíaco, todos relativos principalmente à massa corporal – variam entre dois terços e três quartos dos valores observados nos homens. Quando medido em termos de força por centímetro quadrado de área de secção transversa, o músculo da mulher pode alcançar quase exatamente a mesma força máxima de contração dos homens (entre 3 a 4 kg/cm2). Assim sendo, a maior parte das diferenças de desempenho muscular total resulta da porcentagem extra de massa muscular observada nos homens, em decorrência das diferenças endócrinas.

As capacidades de desempenho das mulheres versus as dos homens atletas são ilustradas pelas velocidades relativas durante uma corrida de maratona. Em uma comparação, a melhor corredora feminina apresentou uma velocidade de corrida 11% menor que o melhor corredor masculino. Para outros eventos esportivos, entretanto, mulheres apresentam algumas vezes resultados superiores aos homens – por exemplo, pode-se citar a prova a nado de ida e volta cruzando o Canal da Mancha, em que a disponibilidade extra de gordura constitui vantagem no isolamento térmico, aumento de flutuação e energia extra de longa duração.

A testosterona secretada pelos testículos masculinos possui um importante efeito anabólico, causando um aumento do depósito de proteínas em todos os tecidos corporais, mas especialmente nos músculos. Na verdade, mesmo um homem com um baixo envolvimento em atividades esportivas, mas que tem boa dosagem de testosterona, terá músculos com crescimento 40% maior que o observado em mulheres sem testosterona.

O hormônio sexual feminino estrogênio provavelmente também colabora para algumas das diferenças de desempenho entre homens e mulheres, embora não tão expressivo quanto a testosterona. Sabe-se que o estrogênio aumenta a deposição de gordura nas mulheres, especialmente nos seios, quadril e tecido subcutâneo. Pelo menos por essa razão, as mulheres não atletas apresentam em média 27% de gordura corporal, em contraste com indivíduos não-atletas do sexo masculino, que apresentam em média 15%.

O ser humano, independente do sexo, possui sete capacidades físicas: força, resistência, flexibilidade, coordenação motora, agilidade, equilíbrio e velocidade. No âmbito esportivo as mulheres possuem um prejuízo ao desempenho atlético de alto nível nos eventos em que o desempenho depende da velocidade ou de uma razão entre a força muscular total e a massa corporal. Em contrapartida, atividades esportivas que é necessário coordenação motora e concentração acima de velocidade e força, as atletas femininas superam os atletas do sexo masculino.


Referências

GUYTON, A.C.; HALL, J.E. Tratado de Fisiologia Médica. 11ª ed. Rj .Guanabara Koogan, 2002

Sandbakk Ø, Solli GS, Holmberg HC, Sex Differences in World Record Performance: The Influence of Sport Discipline and Competition Duration, Int J Sports Physiol Perform. 2017 May 10:1-23

Lewis DA, Kamon E, Hodgson JL, Physiological differences between genders. Implications for sport conditioning, Sports Med. 1986 Sep-Oct;3(5):357-69. Review.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s