PROCESSOS FISIOLÓGICOS DO AQUECIMENTO


Por Rafael Carpenter


   Um ponto em comum a todos os programas de treinamento seja ele para qual nível ou modalidade for, é o aquecimento.  Através de estratégias de execução de exercícios leves, de forma geral ou com gestos específicos da modalidade o indivíduo irá buscar uma transição gradual do estado de repouso para o de exercício, preparando o corpo de forma física, emocional e psíquica para alcançar o resultado desejado e prevenindo possíveis lesões ou acidentes.

  Segundo Weineck (1999), o aquecimento tem a função de determinar o desempenho de cada sistema funcional e de estabelecer o momento adequado para o seu funcionamento, a fim de que o organismo possa atingir o seu desempenho máximo. Além disso, ao atingir a temperatura corporal ideal, as reações fisiológicas importantes para o desempenho motor ocorrem nas proporções adequadas para aquela determinada atividade. Dentre as respostas fisiológicas que se visa atingir com o aquecimento podemos destacar:

  • O aumento da velocidade metabólica em função da temperatura corporal, o que permite aumentar a redistribuição do sangue e o aumento da irrigação dos músculos, garantido assim um melhor suprimento de oxigênio e substratos para o tecido;
  • Excitabilidade do Sistema Nervoso Central o que tem como resultado uma maior velocidade contração/reação permitindo um melhor desempenho na coordenação e respostas a estímulos;
  • Com o aumento da temperatura os músculos, ligamentos e tendões tornam-se mais elásticos, prevenindo acidentes musculares e lesões;

15f01

  • A atividade aumenta a produção de líquido sinovial e devido ao aumento da temperatura corporal e o mesmo ter dentre suas características a multiviscosidade a articulação passa a ficar menos vulnerável a forças e a pressões impostas;
  • Aumentar o desempenho do sistema cardiorrespiratório em função do volume respiratório e do aumento do debito cardíaco (volume de sangue bombeado pelo coração em um minuto);

   A duração de um aquecimento pode ser entre 5 a 20 minutos, mas devem ser levados em consideração fatores como a idade, condições ambientais, nível de condicionamento físico e o tipo de atividade a ser executada, pois os mesmos podem alterar o tempo e a forma de se planejar um aquecimento ideal. Contudo o aquecimento se torna a primeira parte de qualquer atividade física, pois ao não fazê-lo estará assumindo os riscos que a baixa temperatura do corpo pode causar, como lesões no músculo, no tecido conjuntivo, tendões, entre outros (POWER;HOWLEY, 2000).


 

REFERÊNCIAS

MC ARDLE, William D.; KATCH, Frank I.; KATCH, Victor L. Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.

POWER, Scott K.; HOWLEY, Edward T. Fisiologia do Exercício: teoria e Aplicação do condicionamento e ao desempenho. 3. ed. Barueri-SP: Manole, 1999.

WEINECK, Jurgen. Treinamento Ideal. 9. ed. São Paulo-SP: Manole, 1999.

 

Um comentário sobre “PROCESSOS FISIOLÓGICOS DO AQUECIMENTO

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s