O impacto de um grande número de partidas em um curto período de tempo


Por Sarah Ramos – sarah@fisiologistas.com


Resumo do Artigo: “The impact of shorts periods of match congestion on injury risk and patterns in an elite football club” – Carling et al., 2015.


 

Artigo 1 - Gustavo

Introdução

Sabemos que durante uma temporada a grande maioria das equipes de futebol jogam mais de um campeonato por vez, dessa maneira, um estudo das possíveis influências que estes períodos de muitas partidas em um curto espaço de tempo podem gerar em um atleta, torna-se muito interessante.

Em virtude da literatura sobre o assunto ser escassa e/ou conter estudos com falhas, os autores buscaram da melhor maneira possível, controlar todas as variáveis que nos estudos anteriores não foram consideradas (como por exemplo a mudança de jogadores).

Constituição da Amostra

Foram analisados atletas de uma mesma equipe da elite do futebol  francês que participaram na mesma temporada da UEFA Champions League, UEFA Europa League e Ligue 1.

Definiu-se  dois ciclos congestionados de partidas: 2 Partidas seguidas, separadas por um intervalo menor ou igual a 3 dias e 3 partidas seguidas, separadas por um intervalo menor ou igual a 4 dias. Esses ciclos foram comparados à partidas fora desse excesso, ou seja, em intervalos normais.

Ao final das 6 temporadas, os autores reuniram os dados de 25 atletas que estiveram presentes nesses ciclos.

Resultados

– No ciclo das 2 partidas sucessivas, observou-se uma maior incidência de lesão durante os 15 minutos finais da segunda partida.

– No ciclo das 3 partidas consecutivas, observou-se uma maior incidência geral  e também no primeiro tempo das partidas dessas lesões, além  do risco maior de entorses do tornozelo e lesões por mudança brusca de direção.

Conclusão

O estudo concluiu que esses períodos curtos com excesso de partidas afetam sim na incidência e também tipos de lesões nos atletas, dessa maneira, ressalta a importância do monitoramento do tempo de jogos dos seus atletas, principalmente nesses períodos críticos. Para reduzir a possibilidade de lesionar seus atletas, cabe à comissão técnica criar melhores estratégias de substituição e também no rodízio dos seus atletas, através das informações de tempo de jogo que cada um tem.


Imagem: @YLMSportScience

Texto: Gustavo Meneses

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s