Preparação diferenciada para o novo horário dos jogos de futebol


O Cruzeiro terá uma novidade na próxima rodada do Campeonato Brasileiro: jogar às 11h da manhã. O horário foi adotado pela CBF para algumas rodadas do Nacional e, pela primeira vez, o clube mineiro atuará nesta condição em 2015. A Raposa recebe a Chapecoense no Mineirão e busca sua quarta vitória seguida sob o comando de Vanderlei Luxemburgo.

A mudança não é uma simples modificação na rotina de jogadores e torcedores. Para os atletas, as condições de alimentação, sono e preparação física são alteradas. O Superesportes conversou com fisiologistas para entender os cuidados que devem ser tomados para atuar no horário.

O Palmeiras é um dos clubes do país com mais jogos às 11h em 2015 (fez dois pelo Paulista e um no Brasileiro). O fisiologista do da equipe, Alessandro Fromer, explicou as diferenças no sono e na alimentação dos jogadores.

“O atleta é orientado a dormir mais cedo, e o horário das refeições é antecipado na véspera do jogo. O ideal é dormir antes das 23h, para ter o descanso de oito horas e acordar às 7h. Outra coisa que orientamos é para evitar aparelhos eletrônicos antes de dormir. A incidência de luz de tablets e computadores reduz o sono”, disse Fromer, antes de completar sobre o que os atletas comem antes do jogo.

“O café da manhã é reforçado. No início, ficamos na dúvida de uma refeição elaborada e decidimos adicionar macarrão (carboidrato). A aceitação foi boa. Alguns atletas fizeram uma refeição próxima de almoço, com carboidratos e massas. Mas há geleias, pães e outros alimentos servidos pelo clube”, completou.

Para o ex-fisiologista do Cruzeiro, Emerson Silami, o jogador de futebol leva uma vantagem nesse horário da manhã em relação a outros esportistas.

“Na verdade, o futebol leva uma vantagem sobre os outros esportes. Normalmente, o treino é de dia para os jogos à noite. Os atletas já estão habituados a horários inusitados. Até a questão da América do Sul e dentro do próprio Brasil da diferença de fuso-horário também é um fator de adaptação. Ele já está submetido a um ritmo irregular”, afirmou.

De negativo, Silami aponta os reflexos da temperatura para as condições dos atletas durante o jogo. “O sol do meio-dia é o pior que tem. Um jogo que começa às 16h tem um primeiro tempo mais moroso, e cresce o ritmo no segundo tempo. É normal a pessoa se resguardar com o forte calor. Nesse caso, será sol quente o tempo inteiro na cabeça”, destacou.

Fonte: http://m.zonaesportiva.com.br/futebol/cruzeiro/noticia/fisiologistas-indicam-caminho-de-preparacao-do-cruzeiro-para-encarar-jogo-as-11h-no-mineirao.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s