O que as massagens podem (ou não) fazer pelos corredores


0701-butt-massage_vgUma boa massagem ajuda a diminuir a tensão muscular e a aumentar a amplitude dos movimentos, além de relaxar e recompensar os atletas por seu esforço.  Massagistas fazem parte das comitivas de corredores de elite por um bom motivo. O mesmo que explica as longas filas para massagens após a linha de chegada, nas corridas, mesmo as massagens mais intensas são muito procurada por esse público.

Segundo os corredores, uma boa massagem ajuda a diminuir a tensão muscular e a aumentar a amplitude dos movimentos, além de relaxar e recompensar os atletas por seu esforço.

“Eu digo que elas promovem até um bem-estar psicológico: é confortante receber uma massagem após a corrida”, diz Eduardo Marino, massoterapeuta formado pelo IBMR (Instituto Brasileiro de Medicina e Reabilitação).

Mesmo assim, ainda há poucas evidências científicas que comprovem por que os atletas descem da maca sentindo-se tão bem. “Pode ser difícil unir ciência básica e medicina alternativa”, diz Justin Crane, pesquisador da McMaster University do Canadá, que conduziu alguns dos primeiros estudos objetivos sobre o tema em 2012.  Segundo muitos terapeutas, a massagem alivia os músculos doloridos, promove a circulação, elimina toxinas e ácido lático do corpo e alivia a tensão nas articulações. Mas só agora a ciência começa a revelar o que é verdade e o que é mito sobre seus benefícios.

Não há milagre

Algumas crenças preconcebidas sobre a massagem não são confirmadas pela ciência. “Ela não libera toxinas dos músculos para a corrente sanguínea”, afirma JoEllen Sefton, professora associada de cinesiologia da Auburn University, que já foi massagista.

“Não há como isso acontecer do ponto de vista fisiológico.” Segundo Crane, também não há evidências suficientes de que a massagem elimina ácido lático dos músculos. “As pessoas supunham que, como o ácido lático causa ardência e a massagem reduz a dor, consequentemente ela o eliminaria também.”

A boa notícia

A massagem aplica pressão em movimento nos músculos e outros tecidos, como tendões, ligamentos e fáscia (que envolve os músculos, como uma capa). “Essa energia amolece o tecido fascial e relaxa os músculos enrijecidos”, explica JoEllen. Além disso, remove aderências entre a fáscia e os músculos (pontos onde ambos estão grudados, restringindo o movimento muscular). A notícia é especialmente boa para você, corredor, porque seu corpo depende de articulações e músculos ágeis para ter desempenho máximo e sem dores.

Estudos publicados no Journal of Athletic Training e no British Journal of Sports Medicine constataram que a massagem após os exercícios reduziu a intensidade das dores musculares tardias (DMT) — aquela sensação de enrijecimento nas pernas que começa dois dias após o esforço. Outra pesquisa sugere que ela melhora a função imune e ainda ajuda a reduzir inflamações.

“Uma massagem adequada pós-corrida trabalha o músculo para amenizar um processo inflamatório, colaborando para a recuperação do atleta”, afirma Marino. Mark Rapaport, pesquisador da Emory University (EUA), descobriu que basta uma massagem para aumentar o número de vários tipos de linfócitos (glóbulos brancos essenciais para o combate a infecções) e, ao mesmo tempo, diminuir os níveis de cortisol (o “hormônio do estresse”, relacionado à inflamação crônica). Uma massagem também pode ajudar a conter doenças crônicas: “A inflamação sistêmica está associada a uma série de efeitos nocivos, como ataque cardíaco e AVC”, diz Rapaport.

A pesquisa de Crane encontrou menos inflamação nos membros massageados — e 30% a mais de um gene que ajuda as células musculares a produzir mitocôndrias (os “motores” que transformam o alimento de uma célula em energia e que facilitam seu reparo). “Isso sugere que a massagem poderia fazer com que os corredores tolerassem mais exercício e um treino mais pesado”, diz.

Marcar o horário

Massagens regulares podem acelerar a recuperação e são uma ferramenta de treinamento valiosa até para melhorar o desempenho. “A rigidez muscular pode causar problemas a longo prazo. Se você souber como seu corpo deve funcionar quando tudo está equilibrado, você tem mais chance de notar pequenos problemas antes que eles se tornem crônicos”, diz JoEllen Sefton.

Mas nem toda massagem é igual e cada uma cumpre um objetivo. “As manobras a serem feitas em um corredor antes da prova são totalmente diferentes das exigidas num momento pós-prova. Se no começo a ideia é deixar a atividade mais confortável, depois da corrida o foco é a recuperação”, explica Marino.

Se você é um corredor iniciante, também vai se beneficiar da massagem: ela alivia as dores comuns quando iniciamos um novo esporte, colaborando para que você não desista de seguir na corrida.

Ok, massagem é ótimo, mas você não tem como bancar tratamentos semanais? Mesmo uma automassagem simples pode ser benéfica. “Passe creme nas mãos e faça deslizamentos suaves com as palmas abertas sobre o corpo e sempre em direção ao coração. Isso já melhora a movimentação do sangue e conforta o corpo”, ensina Marino.

Já o trabalho corporal antes de uma prova ou treino intenso deve ser leve. “Não queremos músculos doloridos ou sobrecarregados”, diz a massagista Anna Gammal, que trabalhou com atletas nos Jogos Olímpicos de 2012.

Depois de uma corrida ou treino extenuante, um terapeuta pode ir mais a fundo (ou pegar leve) para auxiliar na recuperação. “Conversando com o atleta e entendendo o esforço que ele faz, definimos os movimentos para recuperar um músculo que já foi bastante exigido. A intensidade deve ser outra”, diz Marino.

Fonte: Exame

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s