Crioterapia ajuda na recuperação dos jogadores santistas entre os jogos da Copa SP, diz fisiologista


Com a maratona de jogos da Copa São Paulo, várias são as estratégias da Comissão Técnica do Santos FC para acelerar a recuperação física dos jogadores entre as partidas. Além do reforço na alimentação, descanso e sessões de fisioterapia, outra atividade utilizada é a crioterapia. Por esta técnica, logo após os jogos, o atleta permanece imerso até a cintura em um barril com água e gelo a uma temperatura entre 5°C e 7°C, por no máximo dez minutos.

Segundo Gustavo Jorge, fisiologista da equipe, a crioterapia após as partidas contribui para a diminuição da inflamação nos músculos, processo natural após o esforço intenso, além de ter um efeito analgésico (diminuição da dor).

“Após os jogos, os músculos continuam estimulados, a um ritmo intenso. Ao diminuir a temperatura com a crioterapia, interrompemos este processo, o que acelera a recuperação muscular. Além disso, os próprios atletas relatam uma sensação de relaxamento após a sessão”, explicou Gustavo Jorge.

Entrando numa fria

O fisiologista da base santista conta que, no início, os o jogadores estranham a idéia de entrar no barril de gelo. No entanto, segundo Gustavo, após a primeira sessão, os próprios jogadores pedem para realizar a técnica espontaneamente.

Um dos adeptos da crioterapia  é o volante Elivélton, capitão do time Júnior santista. Por sua função em campo, ele é um dos atletas mais exigidos em campo. Por isso, segundo o volante, a crioterapia tem sido importante para diminuir o cansaço após os jogos.

“No começo foi estranho, mas, depois da primeira sessão, a gente acostuma. A perna fica muito leve e a gente sai novinho em folha”, disse o volante.

Anúncios

2 comentários sobre “Crioterapia ajuda na recuperação dos jogadores santistas entre os jogos da Copa SP, diz fisiologista

  1. Ainda muito se discute a respeito da crioterapia e das distintas situaçoes ou aplicações da mesma, o que gostaria de abordar é o fator de que para quem tem o controle de atletas com dosagens de CpK ( creatinofosfoquinase ) deve ter a sensibilidade na análise dos resultados, pois o atleta submetido á crioterapia tem uma elevaçao nos níveis de CpK muscular, podendo levar a uma falsa interpretação do exame e da real condição muscular do atleta.

    Curtir

  2. ACREDITO QUE QUANDO SE TRATA DE ALTO RENDIMENTO, COM EQUIPE MULTIDISCIPLINAR, COMPETENTES E ESTRUTURA, VC TEM CONDICOES DE MENSURAR E CONTROLAR SUA EQUIPE. QUANTO A CRIOTERAPIA MUITOS ARTIGOS PUBLICADOS EM GRANDE REVISTAS TEM MOSTRADO QUE FIUNCIONA E TEM DADO BONS RESULTADOS , EU MESMO JA FUI ATLETA TB E DAVA CERTO, CLARO QUE A CK, EMBORA SEJA UM MARCADOR INDIRETO DE LESOES, DEVE SER LEVADO EM CONTA, BEM COMO TB AS COMPETICOES E A QUANTIDADE DE JOGOS NA SEMANA , NO MES E NO ANO TB INTERFEE, PRA TER RECUPERACAO, TEM QUE TER DESCANSO .

    JORGE LUIS – ALUNO DA POS GRADUCAO EM FISIOLOGIA DO EXERCICIO ( GAMA FILHO)

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s